Tag Archives: quadrifoglio caffè

Dias ruins e os dias bons

Publicado originalmente no blog Mesa ou Balcão?, da revista ALFA.

Não dou sorte na Dias Ferreira. Os restaurantes da rua mais agitada do Leblon são bonitos, animados, cheios de bossa… mas suas cozinhas nunca chegaram a me emocionar.

Há um mês, no número 147, inaugurou um filhote do Quadrifoglio, um dos melhores restaurantes italianos do Rio. Seria o fim da minha má sorte com a rua?

O Quadrifoglio Caffè fica aberto todos os dias, sem intervalo: das 9h às 11h30 da manhã é servido um menu de café da manhã, depois entra um cardápio mais convencional, com saladas, sopas, massas e carnes. A proposta, que mais lembra room service de hotel, pode causar desconfiança à primeira vista.

Fiquei animado ao ver o pequeno salão, todo envidraçado, ainda vazio às 13h. “Mas já está tudo reservado”, informou o garçom. Coisas da Dias Ferreira. Por sorte, as mesas na calçada pareciam bem convidativas para o almoço de um domingo não tão quente.

O cardápio é curto, simples, sem preparações muito elaboradas. O que, tendo em vista o funcionamento non-stop da casa, pode ser uma grande vantagem. Há sempre uma e outra sugestão do chef fora do menu, que valem ser consideradas.

Foi simpático encontrar manjubinhas – esse clássico de boteco – na Frittura di Mare (R$ 28), junto de lulas e camarões. Tudo incrivelmente fresco, com a fritura leve, bem feita, sem excessos.

Arroz negro é daqueles ingredientes perigosos, com gostosura inversamente proporcional ao número de garfadas dada. O que começa bem vai se tornando enjoativo e pesado com o avanço da refeição. O saboroso Riso Nero (R$ 42), porém, foi contra as piores previsões e combinou demais com o espinafre, o frescor dos tomates sem pele e com a leveza carnuda do bacalhau fresco. Havia também cebolas empanadas de guarnição, que davam uma animada na textura do prato.

O linguado (R$ 51), apesar de bastante fresco, podia estar menos cozido. Sua crosta de ervas e castanha do pará merecia menos óleo. O acompanhamento, um bom risoto de limão siciliano, amenizou o pior custo-benefício do almoço.

De sobremesa, a torta de queijo (R$ 19) era de gente grande. Não no tamanho (por sinal, bem pequeno), mas no seu sabor muito equilibrado e na sua textura supercremosa. Ele ainda vinha com açúcar queimado no topo e uma delicada, levíssima massa na base.

Dias Ferreira, aqui me tens de regresso!

Quadrifoglio Caffè
Rua Dias Ferreira, 147
Leblon, Rio de Janeiro
(21) 2294-8749